PROGRAMAÇÃO

A Besta | K Cena

A partir de três importantes autores da dramaturgia mundial, o diretor Graeme Pulleyn (Inglaterra/Portugal) monta em Salvador o espetáculo "A Besta", formando uma espécie de coquetel de anarquia, ironia, surrealismo e provocação, segundo o próprio artista. "O Rinoceronte", obra mais conhecida do romeno Eugène Ionesco, ícone do Teatro do Absurdo, narra a história de uma vila que tem os seus habitantes transformados aos poucos em rinocerontes, com única exceção do protagonista, Bérenger, que consegue resistir à espécie de peste. "Ubu Rei", do autor francês "Alfred Jarry", busca inspiração em Macbeth, clássico de William Shakespeare, para narrar a grotesca história de Ubu, personagem que junto a sua esposa usurpa a coroa do país e conduz um governo bárbaro, violento e repressor. Já "O Teatro e a Peste", do dramaturgo francês Antonin Artaud, trecho da obra "O Teatro e seu Duplo", discute os efeitos da peste na sociedade e propõe um teatro que, assim como a peste, crie possibilidades de novas formas de estar na vida. O espetáculo "A Besta" tem essas três obras como pontos de partida e marca a conclusão da residência artística de Graeme Pulleyn com os integrantes da universidade LIVRE, através do projeto de teatro lusófono K Cena, realizado através de parceria entre o Teatro Vila Velha, o Teatro Viriato (Portugal) e o Instituto Camões/Centro Cultural Português – Pólo do Mindelo (Cabo Verde).

Leitura encenada da peça Em Família

Na sexta edição do projeto Clube da Cena, Marcelo Flores dirige uma leitura encenada do texto "Em Família", de Oduvaldo Vianna Filho, com A Cia. de Teatro Os Argonautas. "Em Família" foi escrita em 1971 e apresenta o casal de idosos (Dona Lu e Seu Sousa) que são despejados da casa onde moravam por não terem condições financeiras para mantê-la. Dessa forma, Vianinha expõe o problema do sistema previdenciário, e ao mesmo tempo denuncia as dificuldades de se viver em uma sociedade onde o trabalho é imprescindível, marginalizando os idosos. O texto teve montagens antológicas dirigidas por Sérgio Britto (com Eva Todor e André Villon ), Antunes Filho (com Paulo Autran e Carmen Silva) e a mais recente por Aderbal Freire Filho rebatizada de "Vianinha conta o último embate do homem comum”. A idéia de levar o texto à cena partiu de Harildo Deda, que encabeça o elenco da leitura encenada ao lado de Neyde Moura, como o casal de idosos que ficam repentinamente sem moradia, cujos filhos são vividos por Carlos Betão, Alethea Novaes , Celso Jr e Andréa Elia. Fernando Neves, Márcia Andrade, Socorro de Maria, Valéria Fonseca e George Vladimir interpretam os amigos, vizinhos e outros membros desta família brasileira típica, em sua luta cotidiana na conjuntura sócio-polítco-econômica do Brasil nos anos 70.

Se Deus Fosse Preto | Terças Pretas

O espetáculo tem como personagem central Lhutam Omí Imbó do Dendê -LHOID, homem negro preso injustamente pelo assassinato de sua filha e de sua esposa. Durante o tempo no cárcere, ele escreve textos que, após a sua morte, se revelarão como base para a criação de um novo paradigma mundial. Em pouco tempo, as ideias de LHOID ganham repercussão absurda e tornam-se a nova religião universal. Com elementos de ficção científica, o texto faz um percurso até os anos 3.000, revelando surpresas de um mundo que viu a queda das religiões vigentes e o surgimento de um novo messias. Primeiro monólogo de Sergio Laurentino, ator do Bando de Teatro Olodum, a peça tem direção de Jean Pedro.

Classificação indicativa: 16 anos

Duração: 60min

Rodas Permaculturais de Conversa

O Instituto de Permacultura da Bahia e a Toca Ambiental em parceria com o Teatro Vila Velha realizam no dia 05 de junho mais uma edição do evento Rodas Permaculturais de Conversa. O objetivo é fomentar a discussão e troca de ideias sobre sustentabilidade, desenvolvimento urbano e meio ambiente. O tema da roda será “Permacultura na Bahia: história, desafios e perspectivas”. A entrada é gratuita e os interessados devem confirmar a presença enviando um e-mail para permacultura@permacultura-bahia.org.br.

Cabaret Drag King

O “CABARET DRAG KING” é um espetáculo de variedades que aborda a temática do gênero, com destaque para as masculinidades. Cada edição reúne cerca de 10 artistas para explorar o tema através de sketches, montação, dublagem, dança, solos, etc. Um(a) mestre de cerimônias faz a ponte entre as apresentações e interage com artistas e público, compondo um espetáculo bem humorado e versátil. Na temporada 2017 teremos Márcia Andrade na direção e as artistas Ingridy Carvalho, Karol Senna e Mirella Matos Sales compondo um elenco fixo, além de convidades muito especiais. O bar funciona durante o espetáculo, que tem som da DJ Adriana Prates e projeções de Jacson Costa.