Espetáculos | 3ª semana

Fricção

Fricção14, 15, 16 de abril | 20h

Teatro ICBA Goethe Institut

Leia mais

Cie. Ladainha

RBQdP - Cie Ladainha16 e 17 de abril | 19h

Teatro Molière, Aliança Francesa

Leia mais


Corpo Vivo - Carrossel das Espécies

Corpo_Vivo_-_Bertazzo_-_miniatura17 de Abril, às 20h, 18 de Abril, às 15h e às 20h

Teatro Castro Alves

Leia mais


Isso Aqui Não é Gotham City

Isso Aqui Não é Gotham City - 1º Ato16 e 17 de abril | 20h

Teatro Vila Velha

Leia mais


Cie. Ladainha

RBQdP - Cie LadainhaFormada pelo brasileiro Armando Pekeno e pela inglesa Michele Brown, a companhia de dança contemporânea francesa Cie. Ladainha promete abordar em seus espetáculos “os instintos, as sensações, a lógica do sentido; aquilo que se desenvolve no mais profundo de nós mesmos, mas que não podemos expressar com palavras”. Fortemente vinculadas às questões de apelo social, como aquelas ligadas ao progresso e ao consumo, suas criações buscam abordar sujeitos contemporâneos, através de uma extensa pesquisa coreográfica. A dupla não poderia, portanto, estar de fora da programação do VIVADANÇA Festival Internacional Ano 5.

 

A primeira apresentação contará com dois solos de 35 minutos, retirados do espetáculo Prophertri: A Estranha Fruta, coreografado e interpretado por Michele; e A luz, o espaço da Alma, com criação e dança de Pekeno. As duas coreografias se desenrolam ao som de Eric Trochu e integram o projeto Tritemps, que vem sendo desenvolvido desde 2006 pelos artistas, inspirado nas respostas do público sobre a reciclagem e o consumo de hoje e de amanhã.

 

No dia 17 é a vez do duo RB&QdP* Robe bonbon et Queue de Pie, coreografado e interpretado por Michelle e Pekeno, e que é definido pela dupla como “uma poesia corporal iluminando um sonho que se agarra e se refina para entrar no mundo real”. Com figurinos de papel, que se rasgam em contato uns com os outros, a coreografia acompanha o desenvolvimento de um relacionamento e a construção de um ambiente físico a partir da regeneração do material. A fragilidade das roupas se estende para o corpo, mostrando-o como um elemento sem armadura, sem proteção. A peça apresenta ainda a construção de dois seres em suas jornadas individuais, e também aquela que se dá no encontro entre eles, em movimentos que acham a sua lógica de construção no deslizamento dos corpos.

 

SOLOS A ESTRANHA FRUTA E A LUZ, O ESPAÇO DA ALMA

Onde: Teatro Molière, Aliança Francesa

Quando: 16 de Abril, às 19h

Preço: Gratuito

 

RB&QDP* ROBE BONBON ET QUEUE DE PIE

Onde: Teatro Molière, Aliança Francesa

Quando: 17 de Abril, às 19h

Preço: Gratuito

 

*Crédito da foto: D Gouray.

 

cie_ladainha