Espetáculos | 1ª semana


Tango aDeus

Luis Arrieta - crédito Antonio Carlos Cardoso02 e 03 de abril | 19h

Teatro Molière - Aliança Francesa

Leia mais


One-Nine-Four-Seven

One-Nine-Four-Seven - Tadashi Endo02 e 03 de abril | 20h

Teatro Vila Velha

Leia mais


Naturalmente, teoria e jogo de uma dança brasileira

 

Antônio Nóbrega - NaturalmenteDividir com o público suas reflexões sobre a dança e o modo como um músico de pouco mais de 18 anos, em Recife, encontrou-se com ela. É essa a proposta do renomado coreógrafo Antonio Nóbrega em Naturalmente, teoria e jogo de uma dança brasileira. O espetáculo, que fala das raízes da dança e da música brasileira e foi eleito o melhor da década de 2000 pela Revista Bravo!, será apresentado pela primeira vez em Salvador.

 

No palco, Nóbrega, além de dançar, toca, e é acompanhado por duas jovens bailarinas (Maria Eugênia Almeida e Marina Abib, que dividem com ele as atuações e as criações coreográficas) e por oito músicos, que se revezam entre variados instrumentos de corda, sopro, teclado e percussão. Desse modo, é criada uma trilha sonora rica em composição de timbres sonoros e heterogeneidade rítmica. O artista pernambucano, que tem a multidisciplinaridade como uma de suas mais marcantes características, explica a proposta do projeto: “Resolvi criar um espetáculo em que pudesse tanto dançar quanto expor o meu pensamento sobre a dança que pratico”. As coreografias, apresentadas em solos, duetos e trios, são entremeadas por falas do artista sobre algumas questões, como a origem das danças populares brasileiras, além de sua recriação e articulação numa linguagem brasileira de dança.

 

Para acompanhar e complementar as ideias de Nóbrega, são exibidas imagens em um telão. Através dele, o público acompanha passos, gingados, saltos e giros da rica cultura corporal popular brasileira. A proposta central é expor ao público como Antonio Nóbrega tem procurado articular o amplo e versátil vocabulário de passos em torno de uma linguagem brasileira contemporânea de dança, tanto quanto estabelecer novos diálogos criativos com outras culturas corporais. Em Naturalmente, Nóbrega consegue excepcionalmente unir arte e conceito em torno de um tema tão particular quanto universal. Em 2009, o espetáculo ganhou o Prêmio da Associação Paulista dos Críticos de Arte (APCA) e foi eleito pelo Guia da Folha (FSP) como o melhor espetáculo de dança do país. Nas palavras da crítica Helena Katz, do jornal O Estado de São Paulo, Antonio Nóbrega dança, em Naturalmente, “com o requinte dos sábios”.

 

 

NATURALMENTE

Onde: Teatro Castro Alves

Quando: 1 de abril, 20h

Preço: Gratuito


 

SOBRE ANTONIO NÓBREGA - Antonio Nóbrega nasceu em Recife (PE), em 1952. É violinista desde criança. A partir de 1976 começou a desenvolver um estilo próprio de concepção em artes cênicas, dança e música, apresentando a partir de então os espetáculos “A Bandeira do Divino”, “A Arte da Cantoria”, “Maracatu Misterioso”, “Mateus Presepeiro”, “O Reino do Meio Dia”, “Figural”, “Brincante”, “Segundas Histórias” e “Na Pancada do Ganzá” com grande sucesso no Brasil e no exterior. Com eles ganhou prêmios como Shell, APCA e Mambembe. Em 2003, Nóbrega lançou o DVD do espetáculo Lunário Perpétuo, filmado em película cinematográfica e com a direção do fotógrafo e cineasta Walter Carvalho. Neste mesmo ano, apresentou em Berlim Figural e Sol a Pino e recebeu das mãos do Presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do Ministro da Cultura Gilberto Gil a Comenda do Mérito Cultural. No ano de 2006, Nóbrega lançou dois CDs e o espetáculo “9 de Frevereiro”, vencedor do Prêmio TIM. Juntamente com Rosane Almeida idealizou e dirige o Instituto Brincante desde 1992, em São Paulo.

 

 

FICHA TÉCNICA DE NATURALMENTE

Direção e concepção: Antonio Nóbrega

Coreografias: Antonio Nóbrega, Maria Eugênia Almeida, Marina Abib

Figurinos: Eveline Borges e Romero de Andrade Lima

Criação de luz: Marisa Bentivegna

Atuação: Antonio Nóbrega, Maria Eugênia Almeida e Marina Abib

Direção musical: Edmilson Capelupi

Músicos: Cleber Almeida (bateria), Daniel Allain (sopros), Edmilson Capelupi (cordas), Edson Alves (cordas), Will (trombone), Léo Rodrigues (percussão), Olívio Filho (acordeão), Zé Pitoco (sopros e zabumba)

Assistente de Figurino: Rita Mistroni

Costureira: Nilda Dantas

Direção de produção: Silas Redondo

Produção executiva: Joana Marchetti

 

*Crédito da foto: Walter Carvalho.