Observatório



Break Fighting

No hay traducciones disponibles.

Observatorio9

Leia mais


Ninguém quer ser papaya...

No hay traducciones disponibles.

Observatorio8

Leia mais



DNA-DANÇA

No hay traducciones disponibles.

Expo_Caryb_-_SITE_2

Leia mais



Los retos actuales de la danza

No hay traducciones disponibles.

Observatorio4Guillermo Heras escreve sobre os atuais desafios da dança

Leia mais


Disparidades do gesto e ‘Staff’

No hay traducciones disponibles.

La_Intrusa_-_SITE

Leia mais



Violência e Eros no Butoh-MA de Tadashi Endo

No hay traducciones disponibles.

Oservatrio4Durante workshop, o artista japonês compartilhou suas experiências e entendimento da relação entre vida e morte, e criou conexões possíveis com outras formas de arte.

Leia mais


Odio la Danza

No hay traducciones disponibles.

Observatrio3Texto de Jorge Parra (Encontro Nacional de Danza “Fragmentos de Junio”/Equador) sobre a dança

Leia mais


Fricção - teatro de operações

No hay traducciones disponibles.

b2

Leia mais


Calendário, pra que te quero?

No hay traducciones disponibles.

antonio-nobrega-por-joao-meirellesO dia e o mês dedicados à Dança devem estimular ações e reflexão sobre o seu campo de trabalho.

Leia mais


Observatório

No hay traducciones disponibles.

vivadana_branca

Um espaço para troca de idéias, associações, reflexões, posicionamentos e contraposições.

Leia mais


Disparidades do gesto e ‘Staff’
No hay traducciones disponibles.

La_Intrusa_-_SITE La Intrusa - StaffA dança sempre me surpreende. Mas surpreende por quê? Difícil falar de algo cujo texto e narratividade vão pelo aparente silêncio do movimento. Aparente porque guarda um ‘barulho’ só para o leitor produzir. O movimento como se dá é traidor. Reconheço meus próprios movimentos cotidianos. Mas, no possível reconhecimento de uma lógica que alia movimento e sentimento, sou surpreendido pela maldita criatividade que fragmenta, que estanca, que quebra minha expectativa. O que seria um movimento reconhecido por meu acervo, e que se prolongaria por uma linha de tempo, ainda que mínima, mas necessária para eu ficar feliz com minha miséria cartesiana, e conquistada a duras penas, rapidamente se dissipa para outro movimento e mais outro e ainda outro. Normalmente confrontações de movimentos. Disparidades do gesto.

 

Não falo ainda do grupo espanhol La Intrusa Danza, com Staff, porque a dança hoje me vem toda assim. Ao decepcionar minha lógica, me comove. Pura estratégia de escrita. Staff vem para me frustrar no plano das relações conjugais. Explico. Antes de mais nada, minha bagagem hoje está toda voltada para este tema. Não tem jeito, posso fugir, mas vou resvalar ali onde os seres tramam juntos. Na quebra constante dos movimentos-sequência, Staff pontua para mim, entre os seres, contratos feitos e refeitos, possibilidades comuns, jogos de poder e submissão, desvarios, acordos e desacordos, perdas e encontros, alegrias e tristezas, saúdes e doenças comuns, antropofagias e vômitos... Do gesto do corpo todo, um outro gesto de mãos projetado na parede amplia, mas timidamente, pois Staff usa da tecnologia da imagem, mas poderia não usar. Não faria falta à força da decepção consentida e providencial que a dança promove, que Staff promove com sua ira – sempre ira – amorosa.

 

Sérgio Cerviño Rivero é leitor de mundo.

 

*Foto: João Meirelles.